Um fim em si mesmo*

“Sabem, em geral, eu não falo publicamente, mas a oportunidade de me dirigir a vocês é boa demais para deixar passar. Porque vocês são pessoas muito especiais. Nós somos os sonhadores americanos, trafegando pela estrada de sangue e ouro. E, através da extensão enorme deste país, nós estamos matando pessoas. Não fazemos isso para sobreviver. Não fazemos por vingança. Não matamos pessoas anonimamente… Envenenando sua aspirina, ponto vidro moído em comida de bebê. Não dirigimos carros sobre calçadas lotadas. Não levamos armas a lanchonetes e descarregamos bala até uma equipe da swat espalhar nossos miolos sobre as batatas fritas. Não assassinamos por lucro. Não matamos em nome de governo ou por contrato. Matamos por matar.”

Discurso de Coríntio, em Sandman, nº 13.

* “Fim em si mesmo” é, entre outras expressões, uma das quais Aristóteles se serve para designar a natureza da atividade filosófica: filosófa-se por filosofar.

Sobre Vítor Costa

Um insistente amador na arte do pensamento. Acha que a existência é feita da mesma matéria que compõe os sonhos. E que cada situação é uma ocasião de aprendizado. Mas que podemos, sim, estar à deriva num infinito de absurdo.
Esse post foi publicado em Despojos, Por um mundo Punk-Gótico e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s